MÚSICOS

A orquestra é formada atualmente por 50 músicos, entre profissionais e estagiários.

CONHEÇA OS INTEGRANTES:

Maestro Eduardo Pereira

Doutorando e Mestre em Regência Orquestral pelo Instituto de Artes da UNICAMP e cursando  MBA em Gestão Estratégica pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo-FEA/USP, Eduardo possui uma vasta experiência no setor de entretenimento como maestro, diretor musical e arranjador. Dirigiu os espetáculos “Bravo Pavarotti”, “Rod Hanna in Concert”, “Queen Experience in Concert”, “Abba Experience in Concert”, “Pink Floyd Experience in Concert”, “Anime Live Show”, “Marconi Araújo 30 anos” e os musicais “New York, New York”, “A Bela e a Fera”, “A Pequena Sereia” e “A Bela Adormecida”.

Também dirigiu os Especiais de Natal da emissora de TV Rede Vida, o espetáculo “Musical Sinfônico” com a atriz Claudia Raia, e foi arranjador e assistente de direção musical de “Chaplin, O Musical”. 

Eduardo foi o maestro nas turnês do grupo vocal “Il Divo” e do tenor italiano Emanuele Servidio com a turnê “Dall’Itália con Amore”, no Brasil. Sempre transitando entre os espetáculos e a música de concerto, atuou como diretor artístico da Banda Sinfônica do Exército Brasileiro e nos últimos anos se apresentou junto a Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Orquestra Sinfônica da USP, Orquestra Sinfônica de Campinas, Orquestra Sinfônica de Santo André, Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, Orquestra de Sopros Brasileira, entre outras. Eduardo é coordenador pedagógico do projeto “Solar Musical”, que oferece ensino gratuito de artes para crianças de baixa renda no interior de São Paulo.

Com uma forte atuação empreendedora, elaborou uma série de vídeo-aulas com temas relacionados ao empreendedorismo no setor cultural para a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Fundação Nacional das Artes (FUNARTE), além de palestras em diversas instituições de ensino do país, como a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Eduardo é diretor da Life Concert Entretenimento, Curador Musical da Orquestra Sinfônica Brasileira, Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Sinfônica de Sorocaba.

Vlamir Ramos Junior, spalla

Vlamir Ramos Junior nascido na cidade de Votorantim no ano de 1979.

Formado em violino pelo Conservatório de Tatui na classe dos seguintes professores:Wanderley Pizzigati,Dario Sotelo,Pedro Delaroli e Paulo Bosísio,onde teve orientações de regência com Dario Sotelo.

Fez aperfeiçoamento em violino com Ayrton Pinto e Claudio Cruz.

Participou de vários Festivais de Musica entre eles: IV Festival de Artes de Itu-1996,29 Festival de Campos do Jordão-1998.

Master-Classes como aluno com Paulo Bosisio,Claudio Cruz,Erick Friedman e Boris Belkin.

Trabalhou em várias Orquestras dentre elas: Orquestra Sinfônica Jovem-Tatui, Câmerata Corelli-Tatui, Orquestra Sinfônica Paulista, Orquestra de Cordas de Tatui, Orquestra Filarmônica de Rio Claro, Câmerata do Carroção, Orquestra Sinfônica de São José dos Campos e Orquestra Filarmônica de Campinas.

No ano de 1996 realizou a gravaçãodo Cd de MPB com a Orquestra “Tom Brasil”realizado pelo projeto “Banco do Brasil Musical”pela Tom Brasil Produções Musicais realizando turnê com Wagner Tiso e Victor Biglioni.

Faz inúmeros trabalhos de gravações em Studios, Shows e Televisão, entre eles gravou CD e DVD: Voz da Verdade, Padre Zezinho, Vanilda Bordiere, Brothers Music-Triunfal, Elba Ramalho, Rinaldo e Liriel, Agnaldo Rayol entre outros.

Foi professor de violino no Instituto de Musica de Sorocaba de 2005 a 2008.

Constantemente é convidado a fazer cachês em Orquestras como: Orquestra Sinfônica Brasileira-RJ, Orquestra Sinfônica Petrobrás-RJ, Orquestra Jazz Sinfônica-SP.

Solou com diversas Orquestras dentre elas: Orquestra Sinfônica Jovem de Tatuí, Câmerata Corelli, Câmerata do Carroção, Orquestra de Câmara de Sorocaba e Orquestra Sinfônica de Sorocaba.

Regente e Diretor Artístico da Camerata de Cordas da Fundec-2007.

Em 2020 foi Idealizador do Primeiro Festival Sinfônico on-line da Orquestra Sinfônica de Sorocaba.

No período de Setembro de 2020 a Agosto de 2021 esteve na Direção Artistíca da Orquestra Sinfônica de Sorocaba.

Foi Solista junto a Orquestra Sinfônica de Sorocaba em Setembro de 2021 na retomada das atividades artísticas presenciais da instituição Pós-Pandemia e também Solista da Orquestra Sinfônica de Campinas em Dezembro de 2021 na cidade de Campinas.

Atualmente é primeiro violino da Orquestra Sinfônica de Campinas e Spalla da Orquestra Sinfônica de Sorocaba.

Netto Rodrigues, violino

Superior Completo na Mozarteum SP, Formado no Conservatório de Tatuí em Avançado e Aperfeiçoamento.  (Metodologia Suzuki) Ganhador de uma bolsa de estudo para participar do Festival Internacional – ARIANNA CHAMBER MUSIC FESTIVAL   – Saint Louis , MO – USA  

Participações: 

3 festivais Femusc em Jaraguá do Sul na modalidade Quarteto de Cordas sob a orientação do Arianna Strings Quartet – Santa Catarina; Projeto Serioso com Prof. Richard Young/ USA; III Festival de música erudita de Piracicaba; 2 Festivais Internacional de Música Brasileira e Música Antiga em Juiz de Fora;  Vários Encontros Internacionais de Cordas do Conservatório de Tatuí; 1° FESTIVAL INTERNACIONAL EX TOTO CORDE USP.  

Nestes festivais tive orientação dos grandes Mestres e Professores , e o prazer de acompanhar solistas internacionais como: Shlomo Mintz , Antal Zalai , Carmelo De Los Santos ,Claúdio Micheletti, Eliza Fukuda, Luis Amato, Paulo Bosísio,  Arianna String Quartet.   

Ganhador do Concurso Interno do Conservatório de Tatuí.  

Como professor atuou:

ECM desde 2003; Conservatório Rogério Koury 2011; Oficina do saber nas Escolas Estaduais e Municipais na cidade de Sorocaba pela FUNDEC. 

Músico da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí desde 2009. Foi músico da Orquestra Sinfônica de Sorocaba 2003 à 2011.  Foi integrante do Quarteto Sorocaba. 

Músico convidado da OSUSP – Orquestra Sinfônica da  Universidade de SP; Orquestra Sinfônica de Campinas; Orquestra Sinfônica de Piracicaba; Orquestra Sinfônica Nacional Brasileira.  

Giliard Reis, violino

Ganhador de uma bolsa de estudo para participar do festival Internacional – ARIANNA CHAMBER MUSIC FESTIVAL   – Saint Louis , MO – USA. 

Participações: 3

festivais Femusc em Jaraguá do Sul na modalidade Quarteto de cordas sobe a orientação do Arianna Strings Quartet – Santa Catarina; ProjetoSerioso com Prof. Richard Young/ USA; III Festival de música erudita de Piracicaba; 2 festivais Internacional de música brasileira e música antiga em Juiz de Fora; Vários Encontros Internacionais de Cordas do Conservatório de Tatuí; 1° FESTIVAL INTERNACIONAL EX TOTO CORDE USP.

Nestes festivais teve orientação dos grandes Mestres e Professores , e o prazer de acompanhar solistas internacionais como: Shlomo Mintz , Antal Zalai , Carmelo De Los Santos ,Claúdio Micheletti, Eliza Fukuda, Luis Amato, Paulo Bosísio,  Arianna String Quartet. 

Ganhador do concurso interno do Conservatório de Tatuí. Como professor atuou em: ECM

desde 2003; Conservatório Rogério Koury 2011; Oficina do saber nas Escolas Estaduais e Municipais na cidade de Sorocaba pela FUNDEC.

É músico da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí desde 2009. Foi músico da orquestra Sinfônica de Sorocaba 2003 à 2011. Integrante do Quarteto Sorocaba.

Músico convidado das Orquestras: Sinfônica de Campinas, Sinfônica de Piracicaba, Sinfônica Nacional Brasileira, Sinfônica da Universidade de SP (OSUSP)

Michael Nunes, violino

Iniciou seus estudos de música em 2002 sobre a orientação do professor Éber Mateus dos Santos, mais tarde aperfeiçoou-se com os professores Vlamir D. Junior, Vanderlei Pizzigatte, Rafael Pires e Pedro Delarolle.

Concluiu o curso de violino modulo avançado no Conservatório Dramático de Tatui no ano de 2012. E em 2014 conclui o curso de Bacharel em violino na Faculdade Mozarteum de São Paulo, em 2015 concluiu o curso de pós-graduação, no grupo educacional Nobre (Facesp), na área de musicalização para educadores. Também em 2015 concluiu o curso de filosofia Suzuki, ministrado pela professora Shinobu Saito.

Participou de alguns festivais como o da cidade Itu sobre a Orientação do Professor Jean Reis e da cidade de Ourinhos com as Professoras Simona Cavuoto e Betina Stegman e  maestro Júlio Medaglia.   Participou de masterclass com os professores Daniel Guimarães, Eliza Fukuda e também do mestre Paulo Bosísio, em 2011 esteve presente no II festival de música erudita de Piracicaba, onde teve aulas com a professora Veronique Mathieu.   

Integrou o grupo Folclore Nativo, onde manteve um trabalho de música regional, através dele participou de vários concursos de composição em Sorocaba, região e até no estado do  Rio Grande do Sul, onde veio a obter premiação.

Participou de várias gravações de cd´s e DVD´s , um deles ao vivo na emissora de TV canção nova no ano de 2008, e gravações para emissora de TV Globo em 2014.  

Fez parte da orquestra jovem do conservatório Dramático e musical de Tatuí Dr. Carlos De Campos, e também da orquestra jovem do assec em Sorocaba, integrou a orquestra de cordas da Usina cultural “Grande Otelo”.

Em 2009 participou da Oferenda musical, sobre a regência do maestro Alex Klein, onde teve a oportunidade de tocar ao lado de grandes nomes do cenário musical nacional.

Ministrou aulas no conservatório Rogério Koury de 2004 até 2011, também deu aulas no Conservatório João Baptista Julião. Desenvolveu trabalho como educador musical no projeto Guri (AAPG), de 2011 até 2015. Ministrou aulas na casa de cultura `Cora Coralina` na cidade de Araçariguama, nos anos de 2018 à 2020, Professor de violino na EMV (Escola de música de Votorantim), desde 2021.

 Exerceu o cargo de spalla da Orquestra Sinfônica da cidade de Araçoiaba da Serra, e desde 2005 faz parte da orquestra sinfônica de Sorocaba.

Felipe Tonon, violino

Iniciou seus estudos aos 12 anos no Conservatório de Tatuí com o professor Alcides de Arruda.

Posteriormente fez aulas particulares com o violinista Artur Huf por 6 anos. 

Nesse período solou por 2 vezes com a Orquestra Sinfônica de Limeira e participou de Masterclass com violinistas de fama internacional como Pablo de Leon, Nicolas Koecert, Carmelo de los Santos, dentre outros.

Atualmente é violinista da Orquestra Sinfônica de Piracicaba (naipe dos segundos violinos), da Orquestra Sinfônica de Sorocaba (naipe dos primeiros violinos) e integrante do quarteto Edino Krieger.

Vinicius Corrêa, violino

Vinícius Corrêa Pinto, brasileiro, natural de Sorocaba São Paulo. 

Iniciou seus estudos aos sete anos de idade no conservatório João Batista Julião na cidade de Sorocaba e no ano de 2008 ingressou na Fundação de Desenvolvimento Cultural de Sorocaba (FUNDEC), onde nas duas instituições foi aluno do professor Éber Matheus dos Santos até o ano de 2012.

Aos nove anos de idade venceu o concurso jovem instrumentistas realizado pelo Conservatório Ernest Mahle de Piracicaba. 

No ano de 2010 ingressou no Conservatório Dramático e Musical de Tatuí, onde concluiu os 16º semestres do curso de violino com aulas ministradas pelo professor Rafael Pires. 

Integrou a Orquestra Sinfônica de Tatuí durante três anos como bolsista, participando de vários projetos, como:  Projeto Música Orquestral Alemã – Projeto Pedagógico-Artístico de estimulo a jovens talentos brasileiros com a monitoração de músicos da OSESP. 

Em 2013 foi contratado pela Orquestra Sinfônica de Sorocaba, e no ano de 2019 ingressou na Orquestra
Gru Sinfônica onde permanece até hoje. 

Integrou a OCAM (Orquestra de Camara da USP) durante 2 anos e concluiu os 4 anos de bacharelado em musica na Faculdade Cantareira, com aulas de violino ministradas pela professora Elisa Fukuda. 

Atualmente integra a Orquestra Sinfônica de Sorocaba e a Orquestra Gru Sinfônica. 

 

 

Abner Antunes, violino

Abner Antunes iniciou seus estudos no Instituto Municipal d e Música de Sorocaba – IMMS, administrado pela Fundação de Desenvolvimento Cultural de Sorocaba – FUNDEC, tornando-se o primeiro aluno a se formar nessa Instituição.

Estudou também no Conservatório Dramático e Musical Carlos de Campos de Tatuí e na Faculdade Mozarteum de São Paulo, na classe do Professor Cláudio Micheletti.

Durante toda sua carreira participou de muitos festivais, onde em vários deles atuou como spalla e também como solista. Atua desde 2011 como Camerista, sendo membro do “Musicum Trio”, com o qual participou de um concurso Internacional na Alemanha.

Atua também com o “Quarteto Sorocaba”, com o qual foi Bolsista do Arianna Chamber Music Festival por vários anos, festival esse realizado na University Of Missouri St Louis.

Durante a pandemia, participou de muitos Workshops, Master-Classes de violino, música de câmara e regência. Desde 2022 é Regente da Orquestra Acadêmica da FUNDEC.

Éber Mateus dos Santos, violino

Formado em violino pela Escola de Música de Piracicaba Ernst Mhale na turma do professor Luís Fernando Fischer Dutra. Foi aluno de Maria Lúcia Krug, Celisa Amaral Frias, Dhian Toffolo Ayres e de Pedro Delarolli  e desde 2016 dedica-se ao estudo da viola.   Formado em piano erudito pelo Conservatório Musical João Baptista Julião, na turma da professora Ilza Maria Soares. Também estudou piano popular com o professor Eduardo Gobi.

É pós-graduado em Educação Musical pela Faculdade de Artes Paulista (FPA), formou-se em regência pelo Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí na classe do maestro Dario Sotelo e estudou regência orquestral com os maestros Eduardo Ostergreen e Carlos Fiorini e participou de masterclass com o maestro Lutero Rodrigues.

Participou de várias Masters Classes e Festivais, entre os quais, com o Quarteto de Cordas da OSESP, Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, Trio Colônia, com os Professores Paulo Bosísio, Elisa Fukuda, David Pokorný, Cecília Guida, Cláudio Cruz, Marco Dan, Cláudio Micheletti, Betina Stegmann, Carmelo de Los Santos, entre outros. Participou do I, II e III Festivais Internacionais de Cordas de Tatuí, do XII Festival de Artes de Itu (sendo o Spalla da Orquestra, executando, inclusive, a regência de uma das peças no concerto de encerramento sob a supervisão do maestro Marcelo Stazi), e do XIII Festival de Artes de Itu, do 1º Festival de música ASSATEMEC de Itu, entre outros.

Desenvolve uma intensa atividade artística e pedagógica, apresentando-se em eventos e concertos de Sorocaba e região com o Quarteto Triunfal como violinista, violista e pianista e como músico convidado da Orquestra Sinfônica de Araçoiaba da Serra. Participa frequentemente de cursos de formação continuada na área técnica e pedagógica, entre os quais “A arte de ensinar violino e viola para crianças pequenas”, promovido pela Escola de Música de Jundiaí, sob a orientação da professora Sônia Feres Lloyd, o Curso de Filosofia Suzuki ministrado pela Professora Dra. Shinobu Saito, Capacitação para Aplicação do “Método de Violino para Iniciantes” com o próprio autor, Prof. Paulo Bosísio, Capacitação “O ensino de violino no ambiente virtual” com o Prof. Jean de Oliveira, entre vários outros cursos com pedagogos de destaque no cenário da Educação Musical.

Atualmente é aluno de violino da Academia Dounis Calligop sob a orientação do Professor Paulo Caligopoulos.

Foi professor de violino no Conservatório Musical João Baptista Julião durante 14 anos e regente da sua Orquestra até 2014. Também dirigiu a Orquestra de Cordas da Fundec de 2015 até 2016. Em 2021, como regente convidado, dirigiu a Orquestra Experimental da Fundec em 2 programas destinados  à postagens em plataformas virtuais.

Desde o ano de 2000 é professor de violino no Instituto Municipal de Música de Sorocaba (administrado pela FUNDEC) e desde 2002, violinista da Orquestra Sinfônica de Sorocaba. Desde 2016 é educador de violino e de viola no Projeto Guri (Pólo de Votorantim) e também atua como professor particular de violino e de viola.

Alex Vasconcelos, violino

Iniciou seus estudos de violino no ano de 2003, no Instituto Municipal de Música de Sorocaba (IMMS), administrado pela FUNDEC, com o professor Éber Mateus dos Santos.
Posteriormente passou a ter aulas com o professor Vlamir Devaneio Ramos Júnior. Em 2009 ingressou no Conservatório de Tatuí, sendo orientado pelo professor Pedro Delarole, Rafael Pires e a professora Graziela G. Pagotto.

Participou de vários festivais entre eles o I curso de musica da cidade de Itu no ano de 2010, XII e XIII Festival de Artes de Itu, IX Festival de Música de Ourinhos, Festival de Música de Piracicaba, atuando também nas orquestras de bolsistas dos respectivos festivais. Fez masterclasses com professores renomados entre eles Luiz Amato, Claudio Cruz, Eliza Fukuda, Simona Cavuoto, Matin Tuksa e Claudio Micheletti. Foi concertino da Orquestra Sinfônica João Baptista Julião e integrante da Orquestra Filarmônica Jovem da ASSEC.

É formado em violino pelo Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí, na classe do professor Rafael Pires.

Atualmente é violinista da Orquestra Jonicler Real, violinista convidado da Orquestra Sinfônica de Araçoiaba da Serra e violinista da Sinfônica de Sorocaba e professor de violino no Conservatório João Baptista Julião.

É graduado no curso de Licenciatura em Música da Universidade de Sorocaba, Pedagogo pela Universidade Internacional de Curitiba e é Pós-Graduado em Musicalização para Educadores na Faculdade Corporativa CESPI-FACESPI e cursa Psicopedagogia pela Universidade Internacional de Curitiba.

 

 

Carlos Ribeiro, violino

Carlos Ribeiro iniciou seus estudos no Projeto Canarinhos do Itapety, em Mogi das Cruzes, posteriormente ingressou como aluno do curso de violino na Emesp, em São Paulo. Participou como aluno do Instituto Baccarelli de 2012 a 2017, sendo também integrante do Quarteto de Cordas da mesma instituição.

Participou de diversas masterclasses e festivais, tais como Festival Música nas Montanhas, FIMUPA e Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão

Participou de orquestras tais como: Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, Orquestra Sinfônica de Mogi das Cruzes, como spalla, Orquestra Sinfônica Heliópolis, onde também atuou como chefe de naipe e spalla, posteriormente. Assumiu como spalla da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz entre 2017 e 2021.

Em 2019, solou o concerto de Beethoven para violino frente a Orquestra Sinfônica Altino Pimenta, no Theatro da Paz, em Belém-PA. Já fez participações na Orquestra Filarmônica Bachiana SESI SP, e OSESP. Atualmente é integrante da Orquestra Sinfônica de Piracicaba, Orquestra Sinfônica de Sorocaba, bolsista na Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí e spalla da Orquestra Parassinfônica de São Paulo, onde em 2022, atuou frente a mesma como solista na Sala São Paulo. Em 2022 foi ganhador do I Prêmio Bolsista Destaque do Conservatório de Tatuí.

Em 2023, viajou pelo Brasil em Turnê com a OPESP, atuando como spalla e Solista em todos os concertos.

Wesley Oliveira, violino - estagiário

Iniciou seus estudos de violino aos 13 anos em 2012 no Instituto de Música Fundec em Sorocaba, na classe do professor Abner Antunes Aragão, com quem se formou em dezembro de 2021. Participou da Orquestra Jovem do Instituto, sob regência do maestro Paulo Estanislau, até 2018. Participou também como convidado, da Orquestra Sinfônica de Sorocaba, sob regência do maestro Eduardo Ostergren.

Em 2015 começou a estudar no Conservatório de Tatuí na classe do professor e Spalla da Orquestra Sinfônica do Conservatório, Rafael Pires, na qual se formou com mérito em 2021.

É bolsista da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí desde 2017, sob regência de maestros como João Maurício Galindo, Edson Beltrami e atualmente Emmanuele Baldini.

Em julho de 2021 passou a estudar sob orientação do professor e Spalla da Orquestra Sinfônica da USP (OSUSP) e da Orquestra Experimental de Repertório (OER), Cláudio Micheletti. 

Participou de diversos Masterclass com professores como John McGrosso, Elisa Fukuda, Carmelo de los Santos, Elizabeth Chang, Jenny Gregóire, Simone Bernardini, Emmanuele Baldini, Maria Fernanda Krug, Cláudio Micheletti, entre outros. Participou de festivais tais como: Ariana Chamber Music Festival 2020 e 2021 (EUA), 1° festival Acadêmico Orquestral do Conservatório de Tatuí (2020), 1°Festival Sinfônico Orquestra de Sorocaba – Fundec (2020), e Festival de Música de Santa Catarina (Femusc) 2023, na qual foi Spalla de diversos grupos de câmaras e orquestras do mesmo.

Atualmente está para se formar em Licenciatura em Música pela Universidade Metropolitana de Santos (UNIMES), é orientado pelos professores Emmanuele Baldini e Cláudio Micheletti, é músico convidado da Orquestra Sinfônica Nacional Brasileira e Orquestra Filarmônica Jazz Senai e é integrante da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, sob batuta do Maestro Emmanuele Baldini e da Orquestra Sinfônica de Sorocaba, sob regência do Maestro Eduardo Pereira.

Xisleu Junior, violino estagiário

XISLEU PEREZ GIMENES JUNIOR, nascido em 22/05/2003, iniciei meus estudos na instituição Fundação de Desenvolvimento Cultural (FUNDEC) em 2011 na musicalização infantil, classe da professora Maria Regina Rabello. 

Em 2012 iniciei meus estudos de violino na classe do professor Deivid Willian Ortolano Leite onde permaneci até o final do ano de 2014. No ano seguinte passei integrar a classe do professor Abner Antunes Aragão onde continuo meus estudos atualmente. No ano de 2020 iniciei meus estudos no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí (CDMCC) onde faço parte da classe do Rafael Pires. 

Participei de masterclass com renomados violinistas tais como John MacGrosso, Alessandro Due Borgomanero, Claudio Michelleti, André Michelleti e participei de diversos festivais, tais como, Ariana Chambers Music Festival, Festivais da Fundec e do Conservatório de Tatuí. 

Em orquestras iniciei tocando na Orquestra Experimental do Instituto da Fundec em 2014 sob o comando do maestro Paulo Afonso Estanislau, Orquestra de Cordas sob a regência do prof. Éber dos Santos, Orquestra Filarmônica Jazz Sesi Senai, Orquestra Jovem de Tatuí, e como convidado da Orquestra Sinfônica de Sorocaba sob a regência do maestro Eduardo Ostergreen. 

Atualmente atuo na Orquestra Sinfônica de Sorocaba sob a regência do maestro Eduardo Pereira e como spalla na Orquestra Acadêmica da Fundec sob a regência do prof. Abner Antunes Aragão.

Deivid Ortolano, viola

Bacharel em Violino pela Faculdade Mozarteum na classe dos professores Pablo de Leon, Pedro Della Role e posteriormente Claudio Micheletti, iniciou seus estudos musicais aos 12 anos. Em 2006 se formou pelo Conservatório “Dr. Carlos de Campos de Tatuí”, onde estudou com Pedro Della Role e Paulo Bosísio.

Participou de importantes festivais de música em Juiz de Fora, Poços de Caldas, Tatuí , Jaraguá do Sul, e St. Louis EUA, participando de aulas e masterclasses com Leon Spierer, John McGross, Júlia Shakarova, Andrés Cárdenes, Charles Stegeman, Simon Bernardini, Edson Queiroz, Ole Bonh, Elisa Fukuda, Daniel Guedes, Luis Amato, Lyndon Taylor, Nádia Myerscough, Maria Fernanda Krug, Betina Stegmann, entre outros.

Deivid foi Integrante da Orquestra Filarmônica Jovem de Sorocaba, Orquestra Sinfônica Jovem de Tatuí e a Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, onde tem tocado sob a regência dos maestros Felix Grieger, Roberto Tibiriçá, Rodrigo de Carvalho, Gottfried Engel, Edson Beltrami, Ligia Amado, João Maurício Galindo, Richard Markson e Dario Sotelo, entre outros.

Em 2011 no II Festival Internacional de Piracicaba, a convite de seu professor Claudio Micheletti, atuou como solista no concerto de Vivaldi para 4 violinos e orquestra juntamente com os professores Véronique Mathieu (Canadá), Daniel Stein (Brasil/EUA) e Matt Albert (EUA).

Entre 2002 e 2006, foi professor de Violino no Conservatório Musical “João Baptista Julião” e entre 2010 e 2013 participou como músico convidado da Orquestra Sinfônica da USP (OSUSP) em SP. Desde 2009 é Professor de Violino e Viola  no Instituto Municipal de Música de Sorocaba  e Violinista da Orquestra Sinfônica de Sorocaba. A partir de 2016 começou a se dedicar intensamente a Viola, que até então era seu segundo Instrumento, pois passou a ser Violista do Quarteto Sorocaba e posteriormente Violista da Orquestra Sinfônica de Sorocaba. Por três anos seguidos 2015,2016 e 2017 participou junto aos membros do Quarteto Sorocaba no Arianna Strings Festival em St. Louis nos EUA, onde foram agraciados com uma bolsa integral do curso, pois tem se dedicado intensamente como camerista.

Deivid Ortolano tem como “mestres” os membros do Arianna String Quartet (EUA).

Anderson Vargas, viola

Bacharel em violino pela USP e formado pelo Conservatório Maestro Henrique Castellari. Aperfeiçoou seus estudos em viola com os professores Peter Pas e Elisa Fukuda. P

articipou de festivais no Brasil e no exterior como o Festival Internacional de Campos do Jordão em 4 edições seguidas, Festival de Itu, Festival de música de Prados e Festival “Giole Musicale” na Itália.

Atuou nas seguintes orquestras: YOA(Orquestra Jovem das Américas em turnê pela China), Orquestra de cordas Laetare/SP, OCAM (Orquestra de Câmara da USP), OSUSP, Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi/SP e Orquestra Experimental de Repertório(OER).

Atualmente é professor Suzuki licenciado pela Suzuki Association of The America e integra as seguintes orquestras: Orquestra Sinfônica de Piracicaba, Camerata Fukuda e Orquestra Sinfônica de Sorocaba.

Neemias Camargo, viola.

Formado com nota máxima em viola pelo Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos, sob orientação do professor Renato Bandel, iniciou seus estudos musicais aos 6 anos na EMESP (Escola de Música do Estado de São Paulo), aos 14 anos passou a tocar na Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí como bolsista. Integrou a Orquestra Jovem Tom Jobim e Orquestra Jovem do Theatro São Pedro, onde tornou-se chefe de naipe. Aos 18 anos ingressou na OJESP (Orquestra Jovem do Estado de São Paulo). Então, aos 19, foi aprovado como músico profissional da OSS (Orquestra Sinfônica de Sorocaba) e em seguida da OSP (Orquestra Sinfônica de Piracicaba), obtendo nota máxima em unanimidade pela banca avaliadora. Também já tocou como músico convidado na ORTHESP (Orquestra profissional do Theatro São Pedro), Filarmônica da USP e foi parte da importante Camerata Fukuda.

Participou de diversos festivais, entre eles: FEMUSC (2020), Academia Jovem Concertante (2022) Orquestra Jovem Alegro (2019,21,22), festivais esses onde teve oportunidade de fazer importantes solos como líder de naipe e também MUNASP (2017),VaCO (Vacation Summer Course – Reino Unido, 2020), Gramado in Concert (sendo convidado da OJESP, 2022). E junto ao quarteto Ecos também foi aprovado no segundo festival de verão de Campos do Jordão e no Arianna Chamber Music, que acontece em St. Louis – Missouri nos EUA.

Foi músico ativo em masterclasses com professores de grande renome, dentre eles: Hartmut Rohde (Berlin University of Arts), Jon Thorne (Royal Academy of Music), Antônio Meneses (Bern Conservatory), Edmundo Villani-Côrtes, Craig Mumm (Manhattan School of Music), Rossita Gotza (West Texas A&M University), Gabriel Marin (Ex-membro da Odense Symphony Orchestra, Dinamarca), Renato Bandel e Jairo Chavez (Karajan Academy), Silvio Catto (Teatro Municipal de São Paulo), Sarah Pires (OSESP), Emerson Di Biaggi (UNICAMP). 

Atualmente cursa Licenciatura em Música pela UNIMES, é orientado pelo professor Renato Bandel, é integrante da OSS e da OSP, participa de grupos como Camerata Fukuda, Orquestra Sinfônica de Tatuí, Orquestra Jovem de Lins como líder de naipe, entre outros. Integra o quarteto Ecos, vencedor do 11° prêmio de incentivo à música de câmara do Conservatório de Tatuí.

Bruno Demetrios, viola

Iniciou os estudos de violino aos oito anos de idade, com a Profª Angela Baracchini da Universidade Federal de Santa Maria – RS. Bacharel em Música (Unicamp, concluído em 2015, instrumento, Viola – com Prof. Dr. Emerson De Biaggi. Teve aulas e orientações com Gabriel Marin (2019).

Participa da Orquestra Sinfônica de Sorocaba (início: março 2022).

Participações como músico Tutti-Viola: Orquestra Sinfônica Municipal de Botucatu, sob regência de Fernando Ortiz de Villate (2021) , Orquestra Jazz Sinfônica de Valinhos (desde 2018 até o presente), Orquestra Filarmônica de Valinhos (desde 2019 até o presente.

Outras participações:  Oficina de música antiga e Barroca na Escola do Teatro Municipal, sob a orientação do professor Juliano Buosi (2017); Orquestra Municipal de Jundiaí (2016-2019), Camerata da Academia de Música e Artes de Jundiaí (1º semestre/2016); Ópera Dido e Aeneas (Henry Purcell); Ópera Estúdio UNICAMP e Coro Contemporâneo de Campinas, sob a regência do maestro Juliano Buosi (setembro/2015); Academia Concertante Etapa São Paulo como concertino (agosto/2015); Orquestra Comunitária da Unicamp como concertino e chefe de naipe (2º semestre/2009 a 2ºsemestre/2014);  “Festival of International Opera of the Americas” sob a regência do maestro Michael Borowitz da LSU Opera, nos meses de junho e julho/2013; Óperas: “La Cenerentola”(chefe de naipe), “A Viúva Alegre(concertino)”, “Os Contos de Hoffmann(chefe de naipe)”, “III Festival Internacional Carlos Gomes” – 21 a 29 de julho/2012, Orquestra de Câmara do Conservatório Carlos Gomes (1º sem./2009) – instrumento: Viola; Projeto Unicordas da Unicamp como aluno, sob a direção do violinista Alexandre Chagas da Orquestra Sinfônica da Unicamp, direcionado para crianças e adolescentes – instrumento: Viola (2006 a 2008).

Ministrou aulas:

Violino no Conservatório Prelúdio em Campinas-SP (2017-2018).

Viola na Academia de Música e Artes de Jundiaí (2ºsemestre/2016 até o 2°semestre/2017).

Atua como regente de coro e orquestra, em alguns trabalhos sociais em igrejas (início: 1º semestre de 2015).

Samuel Salles, viola - estagiário

Formado em viola clássica pelo conservatório de Tatuí

Participação na Orquestra Sinfônica de Tatuí (bolsista) por 5 anos

Músico convidado na Orquestra Sinfônica de  Ourinhos;

Participação na gravação de diversos dvd’s gospel e no show do Chitãozinho e Xororó.

Atua como estagiário na Orquestra Sinfônica de Sorocaba

 

 

Heitor Godoy, viola - estagiário

Iniciou os estudos no Projeto Guri aos nove anos de idade, em Sorocaba, como aluno de viola do professor Rodrigo de Morais Silva.

Aos doze ingressou na FUNDEC e, sob orientação do professor Deivid Willian Ortolano Leite desde o início do curso, está no oitavo e penúltimo ano.

Estudou música de câmara por dois anos, na FUNDEC, como aluno da professora Thais Helena Valim.

Hoje estuda música de câmara no Conservatório de Tatuí, onde é aluno da professora Elen Ramos Pires.

Atualmente é estagiário da Orquestra Sinfônica de Sorocaba, bolsista da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí e chefe de naipe da Orquestra Acadêmica da FUNDEC.

 

 

Renato Cardoso Ferreira, violoncelo

Renato Cardoso iniciou seus estudos em projeto filantrópico (Congregação Crista no Brasil), e entrou no Conservatório de Tatuí onde formou-se na classe do professor Tiago Almeida, na mesma instituição foi solista convidado da Orquestra Jovem do Conservatório de Tatuí sob regência do maestro Juliano Arruda, integrante da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí e do Grupo de Performance Histórica do Conservatório de Tatuí com especialização em violoncelo barroco.

Posteriormente  iniciou seus  estudos em bacharelado  em  violoncelo  na  classe  do Professor Dr. André  Luís Micheletti (EUA) e Alberto Kanji (NL). 

Integrou  a  Orquestra Jovem  Municipal  de Guarulhos  e  Camerata Cantareira onde atuou como chefe  de  naipe em ambas.

Na Orquestra Jovem Municipal de Guarulhos foi vencedor do concurso jovem solistas onde atuou como solista sob regência do maestro Emiliano Patarra.

Integrou a Orquestra Experimental de Repertório, onde foi ganhador de dois prêmios jovens solistas (2018-2020) atuando como solista nos palcos do Teatro Municipal de São Paulo sob regência do maestro Jamil Maluf, e em 2021 foi finalista do concurso para cordas de âmbito nacional sediado pela prefeitura de Guarulhos e classificado entre os 5 melhores.

Atuou como chefe de naipe e solista na Orquestra de Câmara do Mozarteum Brasileiro sob regência de Lorenz Nasturica (spalla da Filarmônica de Munique).

Ingressou na Orquestra GruSinfonica onde é músico até hoje sob regência do Maestro Emiliano Patarra.

É integrante do renomado grupo de musica popular brasileira Choro das 3, onde fez participação da gravação de 5 discos.

Atualmente é membro da Orquestra Sinfônica de Sorocaba e Professor de violoncelo na FUNDEC e continua seus estudos em pró-perfomance em violoncelo com o professor Ília Laporev (BE).

Samuel Lazala, violoncelo

Iniciado em 2009 no curso de violoncelo pela instituição Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de
Campos”, permaneceu em estudo contínuo até 2017, participando dos principais grupos artísticos da instituição(Grupos Jovens e Sinfônicos de Tatuí) e tendo aula com os professores Túlio Pires, Ellen Ramos e na maior parte do curso com o professor Jefferson Perez (ex participante da Orquestra Sinfônica de Sorocaba). 

Em 2017 foi ganhador do IX prêmio de incentivo de música de câmara sobre coordenação de Miriam Braga, no mesmo ano foi chamado para ser aluno de violoncelo na faculdade UNESP, tendo aula com o músico cellista Joel de Souza até 2022, dentro da universidade foi participante da orquestra acadêmica regida pelo maestro Lutero Rodrigues.

Além dos estudos nas instituições de ensino de música também foi participante dos festivais de Boituva, Prados e o encontro de violoncelos em ouro branco, sendo neste último participante do concurso de violoncelo, assim com tudo fazendo masterclass com grandes nomes do violoncelo como Matias de oliveira, Kayami Satomi, Alceu Reis, Hugo Pilger e o grande cellista renomado Antônio Meneses.

 

 

Davi Oliveira, violoncelo - estagiário

Nascido em Sorocaba (SP), iniciou seus estudos de música na igreja com 11 anos. 

Aos 21 anos, através de uma seleção, conseguiu uma vaga para estudar no Instituto de Música de Sorocaba (IMMS).

Em 2014, participou do 2° Festival Eleazar de Carvalho, na cidade de Itu,  São Paulo/SP.

Teve aulas com o Professor Jefferson Perez,(SP) Mauro Brucoli,(SP) e Dennis Parker,(EUA).

Atualmente, recebe orientações, com o Professor Renato Cardoso e aluno estagiário na Orquestra Sinfônica de Sorocaba (OSS).

André Yarmalavicius, contrabaixo

Iniciou seus estudos de contrabaixo acústico em 1999 no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos em Tatuí na classe do professor Alexandre Miranda, concluindo o curso no ano de 2007.

Estudou também com o professor Sérgio de Oliveira na mesma instituição.

Posteriormente continuou seus estudos com a orientação do professor Pedro Gadelha. Graduado em “Licenciatura em Educação Musical” na “Universidade Federal de São Carlos” (UFSCar) em 2012, e concluiu o curso de Pós-Graduação lato sensu em Educação Aplicada à Performance Musical no Centro Universitário do Sul de Minas “UNIS” em 2018.

Participou de diversos festivais de música como o de “Músicas nas Montanhas” em Poços de Caldas (2003), Festival de Inverno de Campos do Jordão (2007, 2008 e 2009) e a Oficina de Música em Curitiba (2009 e 2010). Atuou em diferentes orquestras como a Orquestra Sinfônica Paulista (Tatuí) e a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, e também como músico convidado em várias outras orquestras.

Atualmente  integra  a Orquestra  Sinfônica de Sorocaba   e  Orquestra  Sinfônica Municipal de Botucatu.

 

 

David Muneratto, contrabaixo

Iniciou seus estudos em 1999 no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí, com o professor Pedro P.P. Nascimento. 

Participou de masterclass com o professor Sergio de Oliveira e do II Encontro Internacional de Cordas de Tatuí tendo aulas com Ana Valéria Poles e Catalin Rotaru.

Participações:

Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão nos anos de 2006 a 2009, tendo orientações dos professores Pedro Gadelha, Gunter Klaus, Miloslav Gajdos, Phillipe Stubenrauch e Cristian Braica. 

18ª Oficina de Música de Curitiba em 2010 tendo orientações com a professora Christine Hoock. 

Atualmente leciona na cidade de São José do Rio Pardo que é Pólo do Conservatório de Tatuí, onde ministra aulas de contrabaixo, teoria musical e música de câmara.

Gustavo Mazon-Finessi, contrabaixo

É detentor de dois Mestrados, em Performance e Jazz Studies, pela University of North Texas (EUA), onde foi Professor Assistente Bolsista de Contrabaixo e da Orquestra Barroca. 

Bacharelou-se em Música Popular pela UNICAMP, e formou-se em contrabaixo erudito na EMESP.  

Ensinou contrabaixo, música de câmara e improvisação em festivais no Brasil, EUA, Canadá e Argentina. 

Trabalhou com uma variedade de artistas e grupos, como o Bassinova Quartet, Frank Proto, Lumedia Musicworks, Orquestra de Contrabaixos Tropical, Meretrio, Sandy, A Trupe Barroca, Diego Garbin e Chico Oliveira além de orquestras e grupos de câmara no Brasil e EUA. 

Seu primeiro álbum autoral solo, FUSION (2020), estrela importantes artistas de sua geração, e é seguido pelo songbook homônimo. Realizou seu primeiro projeto cultural em 2021, a palestra “O Contrabaixo Histórico do Violone ao Jazz”. 

Em 2022 lançou o EP “Finessi, Mascaro, Sampaio”, ao lado do violinista Luís Mascaro e do premiado compositor, guitarrista e trombonista Emiliano Sampaio. Também em 2022, iniciou o projeto “O Baixo de Villani”, que compreende a edição e gravação de toda a obra original para contrabaixo do compositor Edmundo Villani-Côrtes, com lançamento em 2023. 

Atualmente, exerce com prazer todos os ramos que estudou: é professor de contrabaixo erudito no renomado Conservatório de Tatuí e no Centro Universitário Ítalo-Brasileiro, é membro das Orquestras Sinfônicas de Piracicaba e de Sorocaba, chefe dos baixos da EOS – Música Antiga USP, e baixista e fundador do Jazz Lab.

Allan Texeira, contrabaixo

Iniciou seus estudos na música com o piano no ano de 2000 até 2004.

Em 2012, ingressou no curso de contrabaixo com o professor Juraci dos Santos na FUNDEC em Sorocaba.

Participou do Festival de Música de Ourinhos, foi bolsista do Festival nas Montanhas de Poços de Caldas e também bolsista no International Orchestra Camp em Lüchow (Alemanha.

Se formou em Licenciatura em Música pela Universidade Metropolitana de Santos (UNIMES) em 2019.

Atualmente, prossegue seus estudos em contrabaixo, integrando a Orquestra Sinfônica de Sorocaba e a Orquestra Sinfônica de Piracicaba.

Fabiano de Campos, flauta

Bacharel em música com habilitação em instrumento pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) na classe do flautista Antonio Carlos Carrasqueira, iniciou seus estudos musicais no ano de 1993 com o Ten. Maestro PM João Fonseca da Rocha, na Escola de Música da Orquestra Sinfônica de Araçoiaba da Serra. Nos anos seguintes, estudou no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” em Tatuí.

Atuou como solista com a orquestra de Araçoiaba da Serra nos anos de 2003 e 2011, e com a Orquestra Sinfônica de Sorocaba nos anos de 2007, 2010 e 2015.

Foi   professor  de  flauta  transversal   na Escola  Municipal  de Votorantim   “Nilson Lombardi” de 2017 até o primeiro semestre de 2021.

Foi   professor  de  flauta  transversal  no Instituto Municipal de Música de Sorocaba (IMMS) administrado pela FUNDEC de 2001 à 2022.

Atualmente  é  flautista da Orquestra  Sinfônica de Sorocaba, onde atua desde 1998 e no Conservatório Musical Davino Tardello da Silva (Piedade).

 

 

Renato Silva, flauta

Formado  pela  USP – Universidade  de  São Paulo e pós graduado em musicalização infantil pela Nobre Educacional, iniciou seus estudos de musica  na Sociedade musical Lira São João de Piedade, sob orientação de seu tio, Davino Tardelli da Silva, saxofonista, arranjador e compositor, no ano de 1976.

Aos 10 anos de idade ingressou na Banda como trompetista.

Em  1978   iniciou  seus estudos   de  flauta transversal no “Conservatório  Dramático e Musical, Doutor Carlos de Campos” de Tatuí com os professores João Dias Carrasqueira, Paulo Flores e Edson Beltrami.

Atualmente   trabalha como  músico  da  Orquestra  Sinfônica  de Sorocaba,  sob  a regência do maestro “Eduardo Pereira” e professor de Flauta transversal e Teoria do Instituto Municipal de Musica de Sorocaba (IMMS) administrado pela FUNDEC, flautista do grupo de choro da Fundec e Professor de musicalização infantil no Colégio Objetivo.

Desde 2010 tem se dedicado à pesquisa, restauração e digitalização de partituras de compositores de sua cidade.

Valquíria Porciúncula, oboé

Iniciou  seus  estudos de Música, no Conservatório Dramático  e Musical Dr. Carlos de campos de Tatuí, no ano de 1994, sob orientação do Professor José Davino Rosa.

Bacharel em Música com habilitação em Oboé, pela UNESP (Universidade do Estado de São Paulo), sob orientação do Professor Arcádio Minczuk.

Pós Graduada em Psicopedagogia pela Asseta-Objetivo Tatuí, com TCC “A influência da Música na Educação”.

Foi aluna de Peter Apps e Alexandre Ficarelli.

Participou  como bolsista no Festival de Inverno de Campos do Jordão, por 8 anos consecutivos, tendo como professores Humbert Lucarelli, Isaac Duarte, Washigton Barella, Arcádio Minczuk, Joel Gisiger e Alex Klein.

Atuou como professora de Música na AVAPE (Associação para Valorização e Promoção dos Excepcionais) por 5 anos.

Atuou como Oboísta da OCAM, por três anos. (Orquestra de Câmara da Usp).

Atuou  como  Oboísta da  Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo e Banda Sinfônica de Cubatão, nesta última realizou turnê internacional pela Europa.

Atua como Professora de oboé e corne inglês no Conservatório de Tatuí.

Atua  como  professora de  oboé  e corne  inglês no  Instituto  Municipal de Música de Sorocaba (IMMS) administrado  pela Fundec de Sorocaba.

Exerce o cargo de Monitora de Oboé/Corne Inglês nos seguintes grupos atualmente: Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí.
Atuou como solista de Corne Inglês/Oboé na Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí no ano de 2016.

Atua como Oboísta/Corne Inglês na Orquestra Sinfônica de Sorocaba. 

Atua como Oboísta chefe de naipe na Orquestra Sinfônica Nacional Brasileira de Ourinhos.

Shirley Holtz, oboé

Formou-se Bacharel em Música no Instituto de Artes da UNESP, sendo orientada pelo Prof. Arcádio Minczuk.

Aperfeiçoou seus estudos musicais na EMESP com o Prof. Joel Gisiger.

Iniciou seus estudos musicais no Conservátorio de Tatuí – SP, com o Prof. João Carlos Goehring, onde posteriormente passou a estudar com o Prof. José Davino Rosa.

Participou de diversos cursos de férias tais como: Festival de Artes de Itú, Festival de Inverno de Campos do Jordão, Oficina de Música de Curitiba, Festival de Música de Santa Catarina “FEMUSC”, Semana da Música de Ouro Branco, Festival Música nas Montanhas em Poços de Caldas; onde teve aulas e master class com os Professores: Washington Barella (Alemanha), David Walter (Paris), Luís Carlos Justi (RJ), Isaac Duarte (Suiça), Humbert Lucarelli (Usa), Albrecht Mayer (Alemanha), Alexandre Ficarelli (SP), Peter Apps (SP).

Como integrante da Orquestra Sinfônica Paulista e Orquestra de Sopros Brasileira gravou vários cd’s; sendo estes trabalhos destinados à divulgação da música sinfônica erudita e popular brasileira.

Atuou como oboísta (músico convidado) na Orquestra Filarmônica de Mulheres do Projeto Avon Women in Concert, Orquestra Sinfônica de São Bernardo, Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Orquestra Sinfônica de São José dos Campos, Camerata Antiqua de Curitiba, Orquestra Acadêmica de São Paulo, Orquestra Jazz Sinfônica, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Prelúdio, Orquestra Sinfônica do Theatro São Pedro, Orquestra Filarmônica Bachiana, Musical Wicked, Orquestra de Câmara da USP, Orquestra Sinfônica Mozarteum Brasileiro.

Como docente lecionou na Escola de Música da PIB Penha , no Centro Musical Santa Cruz – CEMUSC. Ministrou master class no Festival de Música para Todos em Córdoba (Argentina), 7° Festival Música em Trancoso 2018 e na “Oficina de Palhetas para oboé 2020” na UFRGS.

Atualmente é docente na Escola de Música da Igreja Batista da Liberdade – LÍBER, oboísta na Orquestra Sinfônica de Sorocaba, na Empresa BRZ Produções e Empresa Del Chiaro, primeiro oboé solista da Orquestra Sinfônica Municipal de Santos.

Rafael Nini, clarinete

Natural de Campinas – SP, iniciou seus estudos de clarineta em 2006 no antigo Projeto Unibanda, atual Escola Livre de Música da UNICAMP, com o Professor Nivaldo Orsi (OSESP). Entre os anos de 2007 – 2011, concluiu o bacharelado em clarineta pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Durante os anos de 2013 a 2017 foi aluno da classe de clarineta e clarone do Prof. Dr. Luis Afonso Montanha como aluno especial da Universidade de São Paulo – USP, dentro do projeto de Extensão Cultural da universidade.

Em Festivais e Masterclasses participou das classes de professores tais como Giuliano Rosas (OSESP), Cristiano Alves (UFRJ, Orquestra Sinfônica Brasileira), Joel Barbosa (UFBA), Luis Afonso Montanha (USP), Luca Raele (Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo), Sérgio Burgani (OSESP, Unesp), Edmilson Nery (OSESP), Henri Bok (Rotterdam Superior Conservatoire – Holanda), Gregory Oakes (Iowa State University – EUA), Florent Charpentier (Asnières-sur-Seine Conservatory – França), dentre outros.

Nos anos de 2015 e 2016, teve por duas vezes a oportunidade de participar, na Alemanha, do festival Konturen Meisterkursfestival com um dos mais renomados professores e clarinetistas do mundo, Prof. Ralph Manno (Hochschule für Musik und Tanz Köln – Alemanha).

Atualmente atua como clarinetista na Orquestra Sinfônica de Sorocaba, na Orquestra Jazz Sinfônica de Valinhos e na Banda Sinfônica “Villa-Lobos” de Indaiatuba, e como professor no “Projeto Jovens Músicos” de Piracicaba. Como músico convidado, teve a oportunidade de se apresentar junto a importantes grupos, tais como a Orquestra do Theatro São Pedro em São Paulo, Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica da UNICAMP, Orquestra Sinfônica de Piracicaba, dentre outros.

Obteve a terceira colocação no Concurso Internacional ‘Henri Bok’ para Claronistas em 2015 e a segunda colocação na mesma premiação no ano de 2017.

Em 2019, atuou como solista, frente à Orquestra Jazz Sinfônica de Valinhos, no encerramento do Encontro Nacional de Clarinetistas da Unesp, evento considerado o mais importante para este instrumento no cenário nacional.

Também é membro do Grupo Torcendo Dedo, que se dedica à pesquisa e execução do repertório camerístico de caráter erudito e popular para quarteto de clarinetas.

Bruno Ghirardi, clarinete

É clarinetista e pesquisador na área de performance musical. Atua como solista, músico de orquestra e em grupos de música de câmara no Brasil e no exterior. 

Nascido no interior de São Paulo, iniciou seus estudos no Conservatório de Tatuí (SP). É bacharel em clarineta pela Universidade de São Paulo (USP), sob a orientação do professor Luís Afonso Montanha. 

Como bolsista de pós-graduação do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), concluiu o mestrado em clarineta solo na Hochschule für Musik und Tanz Köln, sob a orientação do professor Ralph Manno. Foi laureado no 25º Prêmio USP Nascente (2017), no Concurso Jovens Solistas da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo (2017) e no 7º Prêmio Ernani de Almeida Machado (2018). 

Internacionalmente, recebeu o segundo prêmio na 7ª edição do Concurso Internacional ENKOR e o Silverstein Shining Talent Awards. Atuou como primeiro clarinetista/spalla na Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo e como primeiro clarinetista na Orquestra Jovem do Estado de São Paulo. Na Alemanha, integrou o Quinteto Kepheus Reed e participou de diversos projetos voltados para a música de câmara. Foi professor de clarineta na Escola de Música Ludwig van Beethoven, em Bonn. Participou de vários festivais de música, entre eles: Festival Internacional de Campos do Jordão (Brasil), Mattheiser Summer Academy (Alemanha), Klangspuren International Ensemble Modern Academy (Áustria) e Echo from Montepulciano (Itália).

Recentemente, passou a integrar o Sampaensemble, um grupo de câmara composto por músicos das principais instituições musicais de São Paulo. Atualmente é doutorando na Universidade de São Paulo (USP) sob a orientação do Prof. Luís Afonso Montanha, e tem compartilhado sua paixão pela performance musical em masterclasses e concertos ao redor de todo o país.

 

Marcos Franco, fagote

Diplomado em fagote pelo Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí e Bacharel em fagote pela Universidade de São Paulo.

Durante sua formação acadêmica participou de vários festivais e masterclasses, tais como os realizados no Festival de Inverno de Campos do Jordão (núcleos: Banda Sinfônica e Orquestra Sinfônica), Oficina de Música de Curitiba e Cursos de Férias de Tatuí.

Nos festivais e masterclasses citados pode ter aulas com grandes professores como: José Eduardo Flores (Osusp-Brasil), Alexandre Silvério (Osesp-Brasil), Francisco Formiga (Osesp[1]Brasil), Arion Linarez (Osesp-Venezuela/Brasil), Noel Devos (França/Brasil), Benjamim Coelho (Universidade de Iowa-USA/Brasil), Aloísio Fargeland (Quinteto Villa-Lobos – Brasil), Patrick De Ritis (Sinfônica de Viena-Áustria/França), Felipe Destefano (Chile/Alemanha), Hary Schweizer (Alemanha/Brasil), Afonso Venturieri (Suíça/Brasil), Fábio Cury (USP), Klaus Thunemann (Alemanha) entre outros. Foi o primeiro fagote solo da Banda Sinfônica (1993 até 2013) e Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí (1999 até 2005) e da Orquestra Sinfônica de Sorocaba (cinco anos), tendo também participado como músico convidado da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Filarmônica de Goiânia e Ópera Nova de Zurique (Suíça) em apresentações em São Paulo e Corrientes (Argentina).

Com os grupos citados anteriormente, pode trabalhar com grandes nomes da música erudita e popular (Victor Biglioni, Vagner Tiso, Nivaldo Ornelas, Cláudio Cruz, Roberto Tibiriçá, Alessandro Borgomanero, Abel Rocha, Lazlo Marosi, Frank Battisti e outros), com apresentações em território nacional e internacional, além de onze CDS e um DVD e programas TV. 

Em julho de 2014, integrou o corpo docente do 14° festival de Música de Ourinhos.

Eliseu Nascimento, fagote

Natural de Guarulhos SP, iniciou seus estudos como fagotista em 2004 na antiga ULM (Universidade Livre de Música) com o Professor Francisco Formiga (OSESP), em 2005 passou a estudar com Alexandre Silvério (OSESP) na Escola Municipal de Música de SP, participou de diversos máster classes e festivais de música tendo experiência com renomados professores de fagote como: Milan Turkovic(Áustria), Benjamin Coelho (EUA), Klaus Thunemann (Alemanha) Fabio Cury (Brasil). 

Fez licenciatura em música pela Uniasselvi, iniciou sua experiência profissional em 2004 como fagotista convidado da banda Sinfônica do Exército Brasileiro pelo Maestro Benito Juares, foi primeiro fagotista e chefe de naipe na Orquestra Jovem do Estado de SP de 2004 a 2009, também é fagotista da Bachiana Filarmônica SESI SP desde 2006 onde teve experiência em se apresentar no Lincoln Center em NY, Opera House em Miami. E diversos artistas internacionais e nacionais como: Pinchas Zukerman (Maestro e violinista Israelense), Chitãozinho e Xororó com participação no Grammy Latino de 2012, Fafá de Belém, Maria Betânia, Elba Ramalho, Caetano Veloso, entre outros. 

Professor e fagotista da Orquestra e da Banda do Conservatório de Tatuí desde 2009 onde teve experiência com diversos solistas e regentes: Emmanuelle Baldini, Fernando Deddos, Antônio Meneses, Dario Sotelo (regente), Matthew George(EUA), Mark Whitlock, Roberto Farias, Monica Giardini e Frank Batisti. 

2023 Passou a ser fagotista da Orquestra de Sorocaba (FUNDEC).

Denis Vieira, trompa

Denis Vieira iniciou seus estudos musicais aos 10 anos de idade, estudando percussão como professor Paulo Afonso Estalislau e aos 12 anos iniciou seus estudos de trompa no  Instituto Municipal de Música de Sorocaba, com o Professor Rafael de Almeida Proença. Nesse período integrou a Orquestra Filarmônica Jovem da ASSEC e a Orquestra do Instituto Municipal de Música.

Aos 14 anos ingressou no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos, em Tatuí, onde integrou a Banda Sinfônica Jovem e a Orquestra Sinfônica de Sorocaba. Aos 18 anos, ingressou na USP Universidade de São Paulo, onde graduou-se em música na Escola de Comunicações e Artes.

Em turnê pela Europa, participou de concerto no Conservatório da Suíça Italiana, na cidade de Lugano, dando continuidade ao intercâmbio Suíça-Brasil, participou também do Laboratório Musical de Verão em Cortanze, na Itália, além de outras apresentações realizadas nas cidades de Veneza e Mezzovico.

Participou de inúmeros festivais de música como a Oficina de Música de Curitiba, Festival de Música de Juiz de Fora, Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, entre outros, além de estudar regência sob a orientação de Aylton Escobar e Dario Sotelo.

É professor de pós-graduação da Faculdade Unyleya do curso de Arranjo Musical, ministrando a disciplina de Orquestração, além de ser professor da disciplina de Acústica na graduação em Canto Lírico.

Como maestro e arranjador, desde 2006 quando assumiu a direção da Orquestra Filarmônica Jovem de Sorocaba, vem realizando intensa atividade artística com a produção de concertos e shows para a difusão da música sinfônica.

Como solista realizou diversas apresentações executando peças como Concertos nº 1 e 2 para Trompa de Mozart, Concerto para Duas Trompas de Haydn e o Konzertstück para 4 Trompas de Schumann.

Wesley Rodrigo, trompa

Iniciou seus estudos na trompa no ano de 2005 na cidade de Sorocaba, na escola de música Fundec (Fundação de Desenvolvimento Cultural), com o prof. Rafael Proença.

No ano de 2005 para 2006 deu inicio a cursar trompa no Conservatório Dramático Musical Dr. Carlos de Campos onde se formou em 2011 com o Professor Adalto Soares, no ano de 2021 atuou como Professor substituto desta instituição.

Nesses anos , participou de diversos festivais musicais, entre eles Oficina de Musica de Curitiba e Festival de inverno de Campos do Jordão.

Hoje formado no ensino superior em Licenciatura em Música e Pós em Educação Musical.

Nestes anos , atuou em tais orquestras e conjuntos: Orquestra Sinfônica de Sorocaba; Banda Sinfônica de Sorocaba; Orquestra Jovem de Sorocaba; Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí; Grupo de Metais do prof. Gilberto Gagliard do Conservatório de Tatuí; Orquestra Sinfônica Heliópolis( Instituto Baccareli); Musical O Rei e Eu; Orquestra Jovem do Estado de São Paulo; Orquestra Experimental de Repertório; Banda Sinfônica do Exército; Orquestra Sinfônica de Piracicaba; Professor projeto Guri.

Hoje, atua na Orquestra Sinfônica de Piracicaba , Orquestra Sinfônica de Sorocaba, Professor de Trompa no Projeto Guri E no Conservatório Dramático Musical de Tatuí.

Nelson de Faria, trompa

Iniciou seus estudos na trompa no ano de 2005 na cidade de Sorocaba, na escola de musica Fundec (Fundação de Desenvolvimento Cultural), com o prof. Rafael Proença.

No ano de 2005 para 2006 deu inicio a cursar trompa no Conservatório Dramático Musical Dr. Carlos de Campos onde se formou em 2011 com o Professor Adalto Soares, no ano de 2021 atuou como Professor substituto desta instituição.

Nesses anos , participou de diversos festivais musicais, entre eles Oficina de Musica de Curitiba e Festival de inverno de Campos do Jordão.

Hoje formado no ensino superior em Licenciatura em Música e Pós em Educação Musical.

Nestes anos , atuou em tais orquestras e conjuntos: Orquestra Sinfônica de Sorocaba; Banda Sinfônica de Sorocaba; Orquestra Jovem de Sorocaba; Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí; Grupo de Metais do prof. Gilberto Gagliard do Conservatório de Tatuí; Orquestra Sinfônica Heliópolis( Instituto Baccareli); Musical O Rei e Eu; Orquestra Jovem do Estado de São Paulo; Orquestra Experimental de Repertório; Banda Sinfônica do Exército; Orquestra Sinfônica de Piracicaba; Professor projeto Guri.

Hoje, atua na Orquestra Sinfônica de Piracicaba , Orquestra Sinfônica de Sorocaba, Professor de Trompa no Projeto Guri E no Conservatório Dramático Musical de Tatuí.

Erick Gomes, trompa - estagiário

Iniciou os estudos na trompa aos nove anos de idade no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí. Durante este período foi ensinado pelos respeitados Profs. Joaquim Antônio das Dores.

Foi contemplado no concurso para alunos da Escola Municipal de Música de São Paulo, onde teve a honra de ser ensinado pelo renomado Prof. Luiz Garcia.

Atualmente está finalizando o curso de Trompa na FUNDEC Sorocaba com o ilustre Prof. Denis Vieira. Participou de diversos festivais como Festival Internacional de Música do Centro Universitário Adventista de São Paulo, Oficina de Música de Curitiba e Festival de Música de Boituva.  

Aluno estagiário na  Orquestra Sinfônica de Sorocaba.

Fernando Amadeu, trompete

Iniciou seus estudos no final da década de 80 na sociedade musical Lyra São João na cidade de Piedade -SP.

Em 1992 inicia seus estudos musicais no Conservatório Musical Davino Tardelli da Silva com o professor José Eduardo Taliani, na mesma cidade.

Formado no curso de Trompete Erudito no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí, na classe dos professores Edgar Baptista dos Santos (Capitão), e Paulo César Baptista. Estudou linguagem do trompete popular com Nahor Gomes (Banda Mantiqueira e Orquestra Roberto Carlos), na mesma instituição.

É graduado Bacharel em Trompete Erudito pela Faculdade Mozarteum de São Paulo, sob a orientação do professor Rodrigo Burgo. Foi professor de trompete no conservatório de Piedade, e ocupa a cadeira de professor titular de trompete no Instituto Municipal de Música de Sorocaba, onde chefia o setor dos metais e auxilia na parte musical e pedagógica do instituto. Atua como 1° Trompete Solista da Orquestra Sinfônica de Sorocaba desde 1998.

Com frequência trabalha como músico convidado em várias orquestras como Orquestra Sinfônica de Santos e Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas. Atuou sob a batuta de maestros como Eduardo Ostergren, Jonicler Real, Luiz Gustavo Petri, André Cardoso, Victor Hugo Toro e Karl Martin.

Na atmosfera da música popular, se destaca pela sua versatilidade em vários estilos, atuando como 2° trompete improvisador na Big-Band Fundec, Grupos de choro e sexteto de jazz.

Participou de oficinas acompanhando artistas como Arrigo Barnabé e Paulo Braga.

Atuou como solista a frente da Sinfônica de Sorocaba interpretando obras como: Summertime – G. Gershwin, Old Man River – J. Kern.

No  cenário  erudito participou  de oficinas com os principais trompetistas como: Wynton Marsalis(EUA); Fernando Dissenha (OSESP); Gilberto Siqueira (OSESP); Malte Burba (Alemanha) ,entre outros.

Em 2007 executou a frente da Sinfônica de Sorocaba o grande concerto para trompete e orquestra de Alexander Arutunian , sendo elogiado pela crítica, e no mesmo ano, se apresentou com a Banda Sinfônica da Fundec , executando a Rhapsody For Flugelhorn And Band, de Sammy Nestico.

Participou de musicais como Side – Man, de Warren Leight, com o diretor Zé Enrique de Paula; e Teatro de Revista, com o diretor Gerson Esteves.

Fabio Mendes, trompete

Bacharel em Trompete pela Faculdade de Artes Alcântara Machado (FAAM-UniFMU), com o professor Edílson Nery e formado no curso de Trompete no Conservatório Dramático Musical “Dr. Carlos de Campos”, em Tatuí, com o prof. Oscarindo Roque Filho e Gilberto Siqueira.

Pós-Graduado em Música de Câmara pelas Faculdades Uninter (2016). Natural de Sorocaba, iniciou seu estudos aos 13 anos de idade no CDMCC, com o prof. João José da Silva Xavier, Edgar Batista e nos últimos anos teve orientações com o prof. Gilberto Siqueira.

Participou de vários masterclass de trompetistas renomados: Wilton Marsalis, Charles Schuluther, Fred Mills, Nailson Simões, Gilberto Siqueira, Malte Burba, Philip Smith, Rodrigo Burgo, Marcos Motta e Fernando Dissenha.

Em 2000, participou da primeira audição no Brasil da peça Fourteen (John Cage).

Em 2003 estudou  como aluno  especial  com  o Prof.  José  Luís de Aquino no curso Formas Musicais do Repertório Organístico da Pós-Graduação do Departamento de Música da ECA-USP.

Executou o Concerto em Ré Maior para Trompete e Orquestra (G. Torelli) com a Orquestra Sinfônica de Sorocaba (outubro – 2006).

Participou de Festival de Inverno, em Tatuí (1995), Iº Encontro de Metais, em Tatuí (2006), Festival Rimsky-Korsakov (Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo – 2001), fez parte da Banda do Chefe com o Maestro Branco. No Conservatório integrou vários grupos como: Metal Brasil, Banda Sinfônica Jovem, Orquestra Sinfônica Jovem e Orquestra Sinfônica Paulista.Atualmente  é trompetista  em  vários grupos:  Orquestra  Sinfônica  de  Sorocaba, Quinteto de Metais da FUNDEC, Educador Musical do Projeto Guri em Sorocaba e professor no Instituto Musical Municipal de Sorocaba.

Ianca Almeida, trompete - estagiária

Graduada em Música – bacharelado em Trompete, pela Universidade Estadual de Campinas- UNICAMP (2017). Foi bolsista de Iniciação Científica (CNPq) com o projeto “O uso da autorregulação em alunos de bacharelado em trompete: um estudo exploratório no curso de música da UNICAMP, sob orientação do Prof. Dr. Paulo Ronqui.

Formada também pelo IMMS (Instituto Municipal de Música de Sorocaba) no ano de 2018, com o professor Fábio Mendes.

Participou de diversos festivais como: III Festival Internacional Carlos Gomes no ano de 2012 – Campinas/SP; VI Encontro Internacional de Trompetes ABT 2014 – Vitória/ES; I Festival Internacional da UNIRIO – RJ; Festival Música nas Montanhas (2020), Tendo aulas com professores renomados, entre eles: Charles Schulueter (EUA), Giuliano Sommerhalder (ITA), Jacques Jarmasson (FRA), David Spencer (USA), Fernando Ciâncio (ARG), Allan Sibert (EUA), Pacho Flores (VEN), Flávio Gabriel (BRA), Walmir Gil ( BRA), Nailson Simões (BRA), Paulo Ronqui (BRA), Heinz Karl Schwebel (BRA), Silvério Pontes (BRA), Maico Lopes (BRA), Tonico Cardoso (BRA), Nairam Simões (BRA) e Ayrton Benck (BRA).

Gabriel Trettel, trombone

Gabriel Trettel, músico altamente qualificado com formação em trombone e ampla experiência em música de câmara, música contemporânea e orquestras.

Obteve seu bacharelado em trombone na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, com destaque em seu desempenho nas matérias de instrumento. Além disso, atuou como trombonista em diversas orquestras, incluindo a Orquestra Sinfônica de Sorocaba, a Orquestra Sinfônica de Heliópolis e a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo. Participou ativamente de projetos musicais, como o Trio de Trombones “Tr3sbones”, que foi contemplado pelo edital “Núcleo de Desenvolvimento de Carreira”.

Minhas experiências musicais abrangem uma ampla gama de estilos, desde música antiga até música contemporânea, e está comprometido em continuar minha formação e produção musical através de cursos, participações em festivais e execução de projetos.

 

Luis Felipe M. Agápito, trombone

Luis Felipe iniciou seus estudos em 1992 no Conservat6rio “Davino Tardelli” em Piedade. 

Em 1994 ap6s participar do Festival de Inverno de Campos do Jordao entrou para a classe do prof. Gilberto Gagliardi no Conservat6rio de Tatui. 

Participou dos grupos: “Orquestra de Sopros” do Conservat6rio de Tatui, Big Band “Prata da Casa”, Orquestra Sinfonica Jovem de Tatuf, Quarteto de trombones “Gag liard i”. Em 2005 formou-se Bacharel em Trombone pela Faculdade Mozarteum de Sao Paulo, participou de importantes festivais como: Campos do Jordao (nucleo Tatui), Festival de Musica de Londrina, Festival de Musica Instrumental em Tatuf, encontros de trombone em Sao Paulo, Brasilia, Unicamp, Tatui. 

Ao longo desses anos se apresentou sob a batuta de maestros como: Gilberto Gagliardi, Dario Sotelo, Edson Beltrame, Vittor Santos, Ruy Carvalho, Jonicler Real, Eduardo Ostergreen e Antonio Carlos Neves entre outros.

Ingressou como docente do curso de trombone do Conservat6rio “Davino Tardelli” de Piedade-SP e Instituto Municipal de Musica de Sorocaba-SP (IMMS). 

Em 2005 fundou e dirigiu por 07 anos a Big Band “Esquina do Jazz” atuante em diversos eventos e festivais pelo Estado. 

Em 2009 foi secretario de cultura da cidade de Piedade-SP.

Desde 1999 e primeiro trombone da Orquestra Sinfonica de Sorocaba onde permanece ate os dias de hoje. Atualmente e diretor artistico/musical da Orquestra “Jazz Tangaras” de Piedade-SP.

Rafael Peregrino, percussão

Rafael Peregrino é percussionista, bacharel e mestrando pela UNICAMP. Atualmente é membro da Orquestra Sinfônica de Sorocaba, Orquestra Sinfônica de Piracicaba, membro do GRUPU (Grupo de Percussão da Unicamp) – onde participou da gravação dos dois CDs em homenagem aos 20 anos do grupo, além de sua turnê em cinco países diferentes da Europa – e integrante do seu grupo Brasil Ragtime Trio onde põe em prática sua pesquisa sobre a performance tradicional do xilofone no repertório das décadas de 1910-20 da cidade de Nova Iorque.

Rafael já atuou como solista frente a orquestras como a OSMC, OSU, OSUSP e Ithaca College Orchestra; além de ter atuado como músico convidado em diversas outras orquestras como a Orquestra Sinfônica de Indaiatuba, Orquestra Sinfônica Municipal de Ourinhos, Orquestra Jovem de Artur Nogueira, Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina, Orquestra Sinfônica de Rio Claro, entre outras.

Já tocou ao lado de grandes nomes da música brasileira como Sérgio Reis, Falamansa, Elba Ramalho, Mato Grosso & Mathias, Edu Falaschi, Derico Sciotti e Daniel Boaventura.

Luiza Calderon, percussão - estagiária

Iniciou seus estudos musicais na Fundação de Desenvolvimento Cultural de Sorocaba- FUNDEC (Sorocaba/SP), em 2017 aos 12 anos nas aulas de Percussão Sinfônica, com o professor Daniel Lima, onde estuda até o presente momento.

Participou da Banda Sinfônica da Fundec, Orquestra Experimental, Orquestra ORFF e Big Bang da Fundec. Participou de projetos fora da Instituição, como a Orquestra Filarmônica Jovem de Sorocaba (FILA), do maestro Denis Vieira; Orquestra Senador Music, da E.E. Senador Vergueiro, da maestrina Elaine Garcia; Estudou no Conservatório de Tatuí, nas classes de Percussão Erudita/Sinfônica com o professor Agnaldo Silva (2020-2022).

Aluno estagiário na  Orquestra Sinfônica de Sorocaba.

Augusto Nogueira, percussão - estagiário

Iniciou seus estudos em bateria aos 6 anos, estudando até os 15 consecutivamente, onde teve sua base musical com o professor particular Douglas Bueno. Na escola, também foi professor de bateria no ano de 2021/2022. 

Aos 12 anos ganhou um concurso nacional de bateria chamado “Batalha de Bateras” realizado em São Paulo. 

No mesmo ano iniciou seus estudos em percussão sinfônica na Fundec Sorocaba, com o professor Daniel Lima, onde se formou em 10/2022.

Participou de concertos e masterclasses com percussionistas de renome tais como: Alexander Radziewski (Symphoniker Hamburg), Ricardo Righini (OSESP) Eduardo Gianesella (OSESP), Rubén Zúñiga (OSESP), entre outros.

 Em 2020 começou a fazer cachês e gravações com a OSS, assim como em 2021.

No ano de 2022 foi músico estagiário da OSS e bolsista no grupo de Percussão do Conservatório de Tatuí, onde também foi aluno de bateria MPB/jazz. 

Realizou diversos concertos em diferentes cidades inclusive na Sala São Paulo e festival de Campos do Jordão, também em 2022 realizou um concerto solo para percussão e piano de Ernst Mahle com a orquestra Jovens músicos de Piracicaba do projeto Jovens Solistas. 

Atualmente é estagiário na Orquestra Sinfônica de Sorocaba, professor de bateria popular em Sorocaba e aluno de bacharel em Percussão na Unicamp.

Rolar para cima